terça-feira, 27 de agosto de 2013

Resenha Meia Pata



SINOPSE

 Em Meia Pata, Ricardo Dantas apresenta Daniel Silva, biólogo pesquisador que, no final da década de 1980, tem como sonho estudar a maior selva do planeta. Ele acaba indo para Roraima e, completamente sem infraestrutura, parte em sua jornada ao interior da região amazônica. Com uma equipe de trabalhadores formada com mão de obra local, Daniel embrenha-se na mata fechada, onde acaba por conhecer, na prática, o que antes só via na televisão.

RESENHA

Este é o livro do colega Ricardo Dantas, também da minha cidade natal e com orgulho, Boa Vista – Roraima. Embora sejamos colegas e o conheço como pessoa (mesmo que mais virtualmente), serei imparcial de acordo com minhas análise. Para ficar mais coerente irei dividir em tópicos para maior compreensão de todos.

CAPA

A arte da capa ficou excelente, coerente com o enredo do livro e traços muito bem feitos. Eu teria mudado poucas coisas, o laranja com vermelho me parece ter ficado um pouco agressivo aos olhos, porém, em contrapartida, é um livro com arte chamativa, que atrai olhares para uma possível averiguada. Posso dizer que me impressionei com a qualidade do material e cuidados da editora para com a obra confeccionada.

PERSONAGENS

Posso afirmar que os personagens são o ponto alto da trama.
Bem construídos, com personalidades firmadas e verossímeis.
Logo de cara, me deparo com um personagem incomum num livro. Talvez esse tenha sido o primeiro livro que li onde o personagem não fala, pensa, sente, age por impulso e decide por instinto.  Posso garantir que este é o ápice do livro.
O autor narra com tanta sutileza e conduz a história de tal personagem com tamanha maestria que fiquei, em alguns momentos, atônito. Jamais pensei ser possível  um autor conduzir o leitor através da mente e dos olhos de um animal. Ricardo o fez.
A forma como narra a história através do ponto de vista da onça e “falando” de acordo com o entendimento do animal, foi surpreendente.
“Desde o dia em que matou o cachorro na grande toca dos humanos, e sentiu o odor exótico do indivíduo que andava de forma lenta e com movimentos pesados, de alguma forma seu instinto menosprezou aquele ser. Mas ele estava junto dos que viviam nas imediações de suas terras há vários ciclos de chuvas, ...”

Assim, este, no meu modo de ver, é o personagem mais marcante e surpreendente da história.
Vale destacar também, os personagens locais que foram muito bem construídos, e com personalidades verossímeis e com nomes (apelidos) um tanto quanto regionais... rsrs
Parabéns ao autor pela regionalização da obra. Gosto sempre de destacar que escritor de Roraima têm a obrigação de destacar pelo menos parte do nosso estado em seus romances. Rsrs.

HISTÓRIA

O Enredo de Meia Pata  é muito bem escrito e amarrado, o autor conduz a obra sem deixa-la cansativa ou pesarosa. O livro flui de uma forma natural, talvez para aqueles que não sejam tão obstinados à leitura, podem cansar, ou achar difícil a leitura, mesmo porque o autor é bem descritivo e detalhista (uma característica que gosto bastante) e quem não gosta deste tipo de escrita pode “travar” um pouco a leitura.
A saga de Daniel é árdua ao embrenhar-se na maior floresta tropical do mundo, e sua jornada torna-se ainda mais interessante no decorrer da leitura. Para mim, as aparições da onça são as melhores cenas escritas pelo autor, e talvez se eu tivesse escrito este livro daria mais atenção a este personagem (Sim, sou do time da onça!).
Em minhas resenhas cuido em falar mais sobre o enredo do que partes da história. Não gosto de spoilers em resenhas, por isso me atento mais para a história em geral e seus aspectos.
Tenho que parabenizar também pela escrita impecável e pelos conhecimentos específicos sobre meio ambiente e biologia, mas claro que a profissão do autor foi de grande valia para o sucesso da obra e tema abordado.
Enfim, tenho de dizer que Meia Pata é um livro um tanto quanto surpreendente, uma leitura que deveria ser obrigatória nas escolas de Roraima, já que aborda com tanta maestria a respeito do Ecossistema local, geografia e tribos indígenas.
Posso dizer que Daniel Silva é nosso Indiana Jones brasileiro com mais realidade, e embora não tenha me agradado o destino de diversos personagens (mas sei como é isso..rsrs), o livro no geral é muito bom! E o final dá margem para uma continuação, e eu claro, adoraria continuar sabendo e lendo sobre a Saga de Daniel Silva nos diversos ecossistemas do planeta!


                               Para comprar o livro e ver entrevista com o autor basta entra no site da Kazuá.
  

                                                                                                  Por Tanner Menezes


2 comentários:

  1. Tenho que ser imparcial ao comentar uma resenha escrita sobre minha obra MEIA PATA, porém, posso afirmar com convicção que Tanner Menezes adentrou com intensidade na trama e na proposta central da obra! Parabéns pela análise totalmente sincera. Acredite, aprendi muito sobre meu estilo após a leitura desta resenha. Espero que outras venham, de escritores e leitores, para que assim possa aprimorar minha escrita!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa a história do livro. A leitura do livro foi indicada para os alunos da escola Ana Libória (Boa Vista - RR) e foi maravilhoso ouvir a opinião deles sobre o livro. Muitos leram o livro em dois dias e gostaram muito da história. Ficaram muito empolgados com a história. Foi dez! Muito bom!

    ResponderExcluir